Quem são os executivos surfistas e seu impacto no mercado imobiliário

Quem são os executivos surfistas e seu impacto no mercado imobiliário

Uma pessoa estressada por excesso de trabalho é uma imagem hoje desconectada do estereótipo do profissional de sucesso, sendo substituída pela de pessoas que praticam esportes para manter a saúde física e mental. Um desses esportes é o surf, e as cidades estão se adaptando para atender a essa demanda, com grandes empreendimentos. Saiba quem são os executivos surfistas e seu impacto no mercado imobiliário.

Os Executivos Surfistas

O Surf já foi um esporte muito relacionado a um estilo de vida descompromissado. Mas esse também é um estereotipo que ficou no passado.

Atletas como o lendário Kelly Slater, o “Ayrton Senna do Surf” e os brasileiros Gabriel Medina e Ítalo Ferreira, primeiro campeão olímpico da modalidade, são celebridades mundiais em um esporte que movimenta milhões de dólares em todo o mundo. E, mais do que isso, começou a atrair um público que fez dele um hobby e um estilo de vida. Os executivos surfistas.

Entre vários esportes, os executivos parecem ter encontrado no Surf, além de um esporte realmente divertido, uma fonte de aprendizado para serem bem-sucedidos na vida corporativa, com as situações vividas deslizando nas ondas, como a necessidade de saber tomar decisões rápidas em uma ambiente incontrolável e imprevisível como metáforas da vida corporativa.

Surf ao alcance de todos

Mas havia um problema. Para praticar surf era necessário viver em uma cidade que tivesse praia, ou pelo menos, perto de uma. E torcer para que o tempo ajudasse, tanto em termos de dias ensolarados, como de um mar com boas ondas. E, para quem mora em uma cidade como São Paulo, a mais ou menos 100 km do litoral, estar sempre preparado para pegar a estrada em direção à praia.

Isso limitava o tempo que mesmo o mais aficionado dos executivos surfistas, que não morasse em uma cidade litorânea, poderia dispor para praticar seu esporte. Mas isso mudou com os clubes de ondas, e eles estão causando grande impacto no mercado imobiliário.

Como surgiram os clubes de ondas

Os clubes de ondas, onde grandes piscinas com motores poderosos desenvolvidos especialmente para isso oferecem ondas de diversas intensidades e velocidades, adequadas tanto aos que estão começando no esporte quanto aos surfistas experientes, surgiram para atender a essa demanda.

Uma das primeiras, e talvez a mais famosa do mundo, o Surf Ranch, pertence justamente ao multicampeão Kelly Slater. Inaugurada em 2015, na cidade de Lemure, na Califórnia, Estados Unidos.  E segundo o também campeão de surf, Felipe Toledo, ela cria uma onda nota dez a cada 4 minutos.

Esporte movimenta altos valores

O surf já era um esporte que movimentava valores consideráveis, por toda a cultura que criou em torno de si, com grandes marcas investindo em equipamentos, como as pranchas, vestuário para a prática e o lifestyle, o surfwear, e até o turismo esportivo, com locais no Brasil e no mundo que recebem milhares de surfistas todos os anos.

Mas com os clubes de ondas, e um serviço criado praticamente sob medida para os executivos surfistas, para que a questão da distância da praia, ou o clima, deixe de ser um problema, os valores mudaram totalmente de escala.

Um exemplo é o próprio Surf Ranch, de Kelly Slater.  Os valores para utilizar o clube de ondas, convertidos para reais, podem variar de acessíveis, R$47,50 a experiências exclusivas, que, também convertidas para a moeda brasileira, podem chegar a R$800 mil.

Mesmo em cidades que contam com praia, como Garopaba, em Santa Catarina, conta com um clube de ondas, o Surfland.

Os executivos surfistas movimentam o mercado imobiliário

Os executivos surfistas são um público de alto poder aquisitivo, e que está disposto a pagar por bons serviços. Por essa razão, na região Sul da Cidade de São Paulo, serão inaugurados em breve dois clubes de ondas que oferecem tudo isso, o Beyond The Club e o São Paulo Surf Club.

E, dado o perfil do público-alvo, empreendimentos imobiliários criados para atende-lo tendem a ter grande sucesso, e os investidores imobiliários devem ficar de olho nas oportunidades, especialmente quando se tratar de uma oportunidade de investir na raiz da incorporação.